Hérnia de Schmorl

Nódulo-de-Schmorl-1.jpg

Herniações intrassomáticas benignas localizadas nos platôs vertebrais, indiciando degeneração das articulações intervertebrais.

Nódulo de Schmorl é uma alteração visualizada em exames de imagem da coluna vertebral que indica a herniação do disco intervertebral para dentro do corpo vertebral. Embora sua prevalência na população adulta possa chegar a 50 % (1-3), sua detecção em radiografias simples depende de diversos fatores como o tamanho do indivíduo, a qualidade do exame, a localização e o tamanho do nódulo e o grau de esclerose óssea circundante (2). Embora não haja clareza à respeito da etiologia dos nódulos de Schmorl, estudos mostram que hereditariedade parece ser um fator importante (3). Fraqueza do platô do corpo vertebral associado a traumas também são hipóteses aventadas. Existe controvérsia quanto à importância clínica dos nódulos de Schmorl, uma vez que a maioria é encontrada em indivíduos assintomáticos. Estão associados com alterações degenerativas da coluna lombar, que são fatores de risco para dor lombar. No entanto, isoladamente, não se apresentam como fator de risco para dor lombar (3). Em pacientes somente com dor, sem outra condição clínica que justifique tratamento específico, o manejo deve ser voltado para o controle da dor. Nos casos de refratariedade ao tratamento, assim como na lombalgia crônica, sugere-se encaminhamento para avaliação por especialista focal (ortopedista).

Causas

Conhecido também como Hérnia de Schmorl, a doença ainda não tem causas conhecidas mas certos fatores podem influenciar seu surgimento. Alguns deles deles são os traumas de grande impacto, como quedas onde a cabeça entra em contato com o chão primeiro. Os traumas repetitivos, que ocorrem quando o paciente levanta objetos pesados acima da cabeça com frequência, também são capazes de causar essa hérnia.

Além disso, enfermidades tal como a osteoporose, osteomalácia e hiperparatireoidismo e doenças degenerativas situadas no disco vertebral podem estar relacionadas ao Nódulo de Schmorl. Outros fatores que também colaboram para o aparecimento da hérnia são as reações do sistema imunológico sobre o disco intervertebral e alterações genéticas nas vértebras durante a gestação.

Sintomas

Ao contrário do que muitos acreditam, o Nódulo de Schmorl pode atingir colunas saudáveis. Na maioria dos casos ele não provoca dor no paciente e não é algo grave ou um sinal de que existe algo mais sério ocorrendo no corpo.

Mas quando o nódulo surge de forma súbita, como em acidentes automobilísticos, uma pequena inflamação na coluna pode se originar e causar dor. Em casos raros, a hérnia pode afetar um nervo e gerar dor forte.

Tratamento

Como mencionado antes, o Nódulo de Schmorl não causa dores por isso o tratamento só é preciso quando o paciente apresenta sintomas. Para determinar qual o melhor método o médico ortopedista responsável irá analisar qual é a causa da doença.

O tratamento costuma ser feito por meio do uso de medicamentos analgésico, anti-inflamatórios e a prática de fisioterapia para aliviar a dor. Se houver alterações graves na coluna, o profissional da área pode recomendar um procedimento cirúrgico para unir duas vértebras com o objetivo de impedir movimento entre elas, evitando assim a dor.

Bibliografia Selecionada

  1. Pfirrmann CW, Resnick D. Schmorl nodes of the thoracic and lumbar spine: radiographic-pathologic study of prevalence, characterization, and correlation with degenerative changes of 1,650 spinal levels in 100 cadavers. Radiology. 2001 May;219(2):368-74.  Disponível em: http://pubs.rsna.org/doi/full/10.1148/radiology.219.2.r01ma21368 Acesso em: 20 jul 2010.

  2. Dar G, Peleg S, Masharawi Y, Steinberg N, May H, Hershkovitz I. Demographical aspects of Schmorl nodes: a skeletal study. Spine (Phila Pa 1976). 2009 Apr 20;34(9):E312-5. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19531985 Acesso em: 20 jul 2010.

  3. Williams, FM, Manek, NJ, Sambrook, PN, et al. Schmorl’s nodes: Common, highly heritable, and related to lumbar disc disease. Arthritis Rheum 2007; 57:855. Disponível em: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/art.22789/epdf Acesso em: 20 de jul de 2010.

oie_transparent.png